“Landing Page”: Cinco Dicas Matadoras para Impulsionar suas Campanhas

Conteudo blog 2

Landing Page” é o termo em inglês (em tradução literal, “página de aterrissagem”) por onde o consumidor chega ao seu site. Ela também é um dos principais instrumentos marketing digital para realizar as conversões (vendas). Se o seu site ainda não possui uma “landing page”, ou se ela não está tendo a performance desejada fique atento para as nossas dicas.

A “landing page” não concorre com a “página inicial” do seu site. Ela é um canal desenvolvido exclusivamente para receber o público que chega por meio dos buscadores, de campanhas no Google, no Facebook, em newsletter, etc. Assim, você pode ter uma “landing page” específica para cada ação.

A sua “landing page” deve atender uma meta clara. Para isso, capriche no título e no subtítulo – eles serão os itens mais lidos da página. Transmita nesses dois campos a proposta de valor da sua oferta de forma atraente.

2) Depoimentos vendem

Depoimentos de consumidores satisfeitos darão mais confiança para que o visitante decida comprar com você. Os depoimentos podem vir de comentários no Facebook, Twitter, ou mesmo recebidos por e-mail. Isso irá provar que o seu produto, de fato, é um solucionador de problemas.

Outra abordagem é informar, por exemplo, o número de downloads, ou de clientes que já consumiram o seu serviço: “Mais de 5.000 pessoas já realizaram este curso”.

3) Formulários realmente eficientes

A maioria das “landing pages” conta com um formulário, por meio do qual o usuário realizará uma troca: ele informará alguns dados pessoais como nome, e-mail, qual empresa trabalha e em troca irá receber algum benefício: um período de teste do produto, acesso a um e-book, um desconto, etc.
Um ponto positivo dos formulários é que eles podem ser facilmente alterados, com a inclusão ou exclusão de campos, dependendo da página. Ou seja, você pode realizar testes A/B já com a operação em andamento.

Priorize as informações indispensáveis para contatar o seu lead (contato qualificado), de modo que a sua equipe possa esquentar a venda e fechar negócio. Vale observar que, se é a primeira vez que o consumidor se relaciona com a sua empresa, é pouco provável que ele queira contar tudo sobre a vida dele nesse primeiro encontro.

4) Não polua sua “Landing page”

O “branco” é uma das principais armas do design, seja em papel, seja na tela. O perfeito equilíbrio entre o branco e os demais elementos irá melhorar a leitura do cliente.
Aposte em uma boa separação entre o formulário, o “call to action”, e a imagem ou vídeo da sua oferta, de modo a dar o devido destaque a cada uma.

 5) Chame para uma ação
O “call to action” (em tradução literal, chamado para ação) é o espaço em que você irá mostrar ao visitante que ele poderá baixar um arquivo ou enviar um pedido de orçamento. Ele deve estar relacionado com a jornada de compra do cliente, ou seja, pode e deve ser diferente para cada etapa do funil de conversão.
Entre em contato com a Vox Blue e use nossa ferramenta de email marketing para disparar URl’s que direcionam para a Landing Page da qual você deseja gerar relevância e gerar novos negôcios.
 Nos contate no (11) 3938-2358 ou mesmo por email no ccosta@voxblue.com.br

Segmentação de Mercado – Escolha seu Publico Alvo Corretamente

Segmentação

 

Segmentar é preciso

Para a criação de um produto na Web, precisamos antes de tudo, realizar a segmentação de mercado, para podermos assim, molda-lo totalmente ao nosso publico alvo.

A segmentação de mercado consiste na separação do publico alvo em grupos, essa tarefa é trivial, pois dessa forma, podemos concentrar nossos esforços em certo publico alvo que iremos definir posteriormente.

 

O nicho correto na segmentação de mercado

Utilizaremos como exemplo o segmento de viagens para obtermos novas ideias de segmentos de mercado. Porém é importante lembrar que para a seleção do nicho correto, antes de tudo, deveremos ter em mente alguns valores.

O nicho escolhido deve ser atrativos e lucrativo

Um dos principais fatores que vão definir o sucesso do seu nicho é se ele é atrativo, ou seja, se existem pessoas buscando a informação do nicho que você pretende atuar.  Além do interesse sobre o assunto, é importante saber se esse grupo de pessoas do segmento escolhido,  tem interesse em pagar pela informação que você irá disponibilizar.

Você deve ter simpatia, gosto ou mesmo paixão pelo nicho escolhido

Escolha algo que te move de verdade, escolha um segmento que você sinta “tesão” em expor,  conversar ou compartilhar. Mesmo encontrando um nicho atrativo e lucrativo, prefira os que você tem mais afinidade, pois será uma alavanca para seu futuro produto.

Conhecimento sobre o publico-alvo escolhido

É necessário ter conhecimento sobre o nicho que você vai atuar, não necessariamente uma educação formal. Porém é primordial ter  conhecimento prévio adquirido em qualquer tipo de canal, seja através de estudo próprio por meio de sites, cursos online ou mesmo videos.  Caso você encontre um nicho que seja atrativo, lucrativo e você tenha tenha paixão por ele, mas não tenha conhecimento prévio, busca se especializar no assunto antes de atuar no segmento.

 

segmentação mercado

Encontrando um Publico-Alvo

Micro-nicho

Os micro-nichos são os sub-segmentos do mercado, uma divisão ainda maior de um determinado segmento que temos em mente, ou seja, uma parcela mais especifica de um mercado.

Será nesse sub-segmento que deveremos focar. A partir deste momento iriamos chamar de micro-nichos ou mesmo caso prefira super-nichos. A vantagem além da abordada na segmentação do mercado, é a de podermos atingir em um grupo de pessoas que alguns nichos não atenderiam por serem muito generalizados.

Pegamos o exemplo do nicho de viagem, se fossemos trabalhar diretamente com esse nicho, teríamos um grande número de concorrentes, tanto em tráfego, vendas ou mesmo em investimento e propagandas. Gerando assim mais gasto com servidores devido a quantia de acesso, custo em propaganda, entre outros.

Focando em micro-nichos podemos partir para um publico da seguinte forma. Imagine que dentro do nicho de viagens, podemos ter um nicho mais especifico como por exemplo: “viagens para o Paraguai“. Desta forma conseguiríamos foca em uma parcela menor que buscam viajar, mas especificamente para o Paraguai.

Porém se realizarmos algumas pesquisas no Google, esse termo ainda é um micro-nicho muito genérico, desta forma, podemos focar em uma parcela menor dentro desse mesmo grupo.

Assim por exemplo, podemos utilizar o micro-nicho viagem para o Paraguai saindo de Foz do Iguaçu, com esse termo conseguimos atingir uma outra camada de nichos que talvez, o nicho com termo mais genérico não atingisse.

O que determina a criação dos micro-nichos é sua criatividade em conjunto com a necessidade do mercado.

 

Se você já possui uma base de publico-alvo, entre em contato com a Vox Blue para saber como funciona nossa ferramenta de email marketing e como garantimos nossa entregabilidade e conheça nossos serviços.

Ligue Agora no (11) 3938-2358 ou por email ccosta@voxblue.com.br

Confira Tendências de Marketing Digital para Alavancar Marcas em 2017

lavancar 2017

A tecnologia é, cada vez mais, algo presente na vida de todos e estar ciente das opções que ela oferece para promover o seu negócio, é imprescindível. A cada dia surgem novas ferramentas que possibilitam a exposição das marcas, e conhecer as possibilidades, pode fazer toda a diferença para a sustentabilidade da empresa. O mundo cibernético, no entanto, ao mesmo em tempo que ajuda, também consegue confundir inúmeros empresários com a infinidade de plataformas e estilos de abordagens utilizadas atualmente.

Por isso confira tendências de Marketing Digital para Alavancar Marcas em 2017

1. Mobile: Cerca de 70% dos acessos à internet no mundo, é feita através de tecnologia mobile. Mais do que nunca, esse é o momento de investir nesse público e levar o seu produto, cada vez mais, para perto do consumidor. Invista em usabilidade, aplicativos que cativem o público, e fuja do mais do mesmo.

2. Inbound Marketing (Marketing de Atração): A estratégia do inbound é contrária à do marketing tradicional, que visa vender uma marca. Neste caso, a proposta é vender uma ideia que gere a necessidade de determinado produto ou serviço. Para isso, utilize conteúdo atraente para o público, de modo que crie interesse e o faça buscar sua marca de forma voluntária.

3. Content Remarketing: Esta opção atua de forma parecida com o remarketing tradicional, que utiliza as preferências e buscas do cliente para apresentar a publicidade segmentada nos sites que este sempre visita; nesse caso, porém, ao invés de direcioná-lo para o produto, a ação o manda para uma página de conteúdo que ajuda a despertar no público a necessidade adquirir o produto.

Os conteúdos permanecem por pouco tempo na rede, isso faz com que a rotatividade seja grande e tanto quem vende, quanto o cliente, conseguem “ir direto ao ponto”, com uma eficiência muito maior.

5. Vendas Multiplataformas: É a integração dos canais já existentes, através de soluções que prometem estar disponíveis já nos próximos meses. A possibilidade de fechar um negócio na internet é potencializada quando o consumidor não precisa deixar de lado sua rotina para comprar. Se essa opção existir dentro, por exemplo, de uma rede social, onde o público terá acesso não apenas à publicidade que o redireciona, mas ao botão que, efetivamente, realiza a compra, a taxa de convergência tende a multiplicar-se.

Entre em contato conosco para conhecer as ferramentas que a Vox Blue utiliza em nossa sessão de serviços, para que você alavanque seu numero de vendas e fidelize seus clientes e seja mais conhecido na web.

Faça uma consulta entrando em contato no telefone  (11) 3938-2358 ou por e-mail ccosta@voxblue.com.br

5 Erros mais Comuns na Hora de Trabalhar Sua Marca em Redes Socias

blog terça

1 – Ausência de equilíbrio no tipo de conteúdo

Vídeo, foto, texto e link. Vá na sua Fanpage agora e me diga se você tem produzido conteúdo nesses formatos. Esses são apenas alguns bons exemplos do que você pode fazer. Crie equilíbrio nesses formatos e você terá resultados melhores no alcance e engajamento.

Se você for uma empresa de TI, faça vídeos com sua equipe tirando dúvidas sobre os procedimentos internos e que são comuns com os clientes que você atende.

Se você é um salão de beleza, crie um álbum com fotos com diferentes tipos de cabelos para diferentes ocasiões e perfis de mulheres.

Se você tem uma oficina mecânica, faça vídeos curtos dando orientações aos clientes em diferentes situações, como trocar o pneu do carro ou manter a conservação do limpador.

Se você tem uma loja de roupas e acessórios femininos, monte looks para diferentes ocasiões e compartilhe através do Snap e Instagram com sua seguidoras.

Acabei de compartilhar 4 exemplos simples para diferentes tipos de negócios e público-alvo.

2 – Focar apenas em uma única rede social, sem se preocupar com o crescimento das outras e do próprio interesse do público-alvo

Presença online é diferente de presença no Facebook. Disponibilizar tempo e investir em outras redes sociais, mesmo que com esforço menor, é fundamental para o crescimento sustentável e consolidação da sua empresa.

Não estou afirmando que você precisa criar contas no Twitter, Instagram, Snapchat, LinkedIn, Slidshare, YouTube e outras dezenas de redes sociais. A reflexão que eu quero provocar em você é a seguinte:

Crie um planejamento de conteúdo e uma estratégia que seja capaz de conversar com o seu público em diferentes canais e formatos. Separe um tempo para criar conteúdo sensacional, independente do canal e que a sua persona identifique valor.

Abra a cabeça, fuja do óbvio, seja criativo, explore novas redes e seja diferente. O sucesso do seu negócio nas redes sociais depende também de experimentar e ARRISCAR.

3 – Não promover enquetes, pesquisas e perguntas com fãs e seguidores

“Ai meu Deus, o dia dos namorados está chegando e eu não sei o que posso oferecer de diferente em minha loja. Chame todos os funcionários para uma reunião e só vamos sair daqui quando todos derem uma ideia.”

Esse é um relato verdadeiro de um cliente que atendemos em 2014. Foi logo no início da consultoria e o mesmo nos mandou um e-mail desse jeito.

Oras, por que não utilizar as redes sociais e perguntar abertamente ao público o que eles gostariam? Podemos promover enquetes e disparar por e-mail, isso é claro se você tiver um banco de dados dos seus clientes.

 

pergunte-aos-seus-clientes-redes-sociais

Pense comigo: Você tem uma Fanpage com 10.000 fãs e está com uma dúvida sobre o que oferecer em uma data especial, ou então até mesmo que tipo de conteúdo as pessoas querem receber de você, o que aqui dentro nós chamamos de FOCO DO CLIENTE. Fazendo perguntas e promovendo enquetes você pode obter do fã informações valiosas, o que muitas delas já estão no próprio Facebook Insights.

Vá e faça. Depois me diga os resultados que você obteve com essa simples atitude.

4 – Não fazer Marketing de Conteúdo

e-Books, infográficos, hangouts e aulas ao vivo estão muito na moda, eu sei, mas é uma estratégia altamente eficaz e se for bem executada, você poderá ter um retorno excelente.

Porém, Marketing de Conteúdo vai muito além de e-books e vídeos cheio de gatilhos mentais. Não adianta nada fazer tudo isso se a sua entrega não for verdadeira.

Marketing de conteúdo precisa ser levado a sério e não apenas uma troca ou barganha. Eu te dou um e-book, você me dá o seu e-mail.

Se você é um restaurante, crie uma websérie com os próprios clientes e deixe que eles contem as experiências vividas no seu estabelecimento.

Se você tem uma barbearia, apresente aos seus clientes os produtos utilizados durante o corte e todos os seus benefícios. Por falar em benefícios, no Marketing de Conteúdo você deve saber exatamente como explorá-los. Falar apenas das características não é algo que você deve fazer.

5 – Esquecer dos relatórios

Relatórios em mídias sociais são partes fundamentais durante o trabalho de um consultor ou empresa. Existem muitas formas de se fazer um relatório. Defina um que seja interessante para o cliente e que o mesmo sirva para tomada de decisão.

Um relatório de mídias sociais deve conter o suficiente para que o cliente entenda. Durante todos esses anos trabalhando com projetos de marketing digital e social media, já vi relatórios que não conversam entre si e muito menos respondem a necessidade da empresa que contratou os serviços.

 

Entre em contato conosco para conhecer as ferramentas que a Vox Blue utiliza em nossa sessão de serviços, para que você alavanque seu numero de vendas e fidelize seus clientes e seja mais conhecido na web.

Faça uma consulta entrando em contato no telefone  (11) 3938-2358 ou por e-mail ccosta@voxblue.com.br

 

 

 

Celulares Básicos dão Sobrevida a Serviços de SMS Marketing

smsmkthj

Aparelhos sem conexão de internet são 25% das linhas móveis do País e geram demanda por conteúdo em mensagens.

“Envie ‘SIM’ para 1234 para receber as melhores piadas da internet no seu celular”: quem nunca recebeu uma mensagem de texto dessas que atire a primeira pedra – mas antes de erguer a mão, saiba que esse tipo de produto é o que se pode chamar de “serviço de valor agregado 1.0”. Apesar da popularização dos smartphones pelo País – segundo a IDC Brasil ( International Data Corporation Pesquisa de Mercado e Consultoria Ltda ), foram vendidos mais de 150 milhões de celulares inteligentes nos últimos quatro anos –, ainda há um grande número de brasileiros que usam celulares simples, sem conexão à internet, chamados também de feature phones ( “telefones característicos” ).

Segundo a Anatel, 62,7 milhões de linhas móveis do País – 25% do total em atividade – operam apenas na rede 2G, sem acesso amplo à rede, e com recursos de voz e SMS. “É um nicho bastante considerável, que talvez nem possa ser chamado de nicho”, diz Samuel Rodrigues, analista da IDC Brasil. “Ele sempre vai ter espaço, seja por facilidade de tecnologia ou pelo custo dos aparelhos.”

Para as operadoras, esse mercado que pode diminuir, mas não se extinguir, nos próximos anos, faz com que a oferta de serviços de conteúdo via SMS continue a existir. “Temos pouco mais de 20% da nossa rede e 20% do faturamento com SVAs ( Serviços de Valor Agregado ) nos feature phones.

 

Entre em contato conosco para planejarmos uma estratégia de marketing atraves de SMS ou mesmo outras ferramentas que a Vox Blue utiliza em nossa sessão de serviços, para que você alavanque seu numero de vendas e fidelize seus clientes.

Ótimas Razoes para Investir em Marketing Digital na Crise Economica

razoes para investir em mkt digital

Não é segredo para ninguém que o Brasil não esta em um dos melhores momentos da economia.Esta é uma preocupação de todos os brasileiros

 

Mas principalmente em tempos dificieis, é fundamental as empresas pensarem em formas para surpreender e inovar nos seus produtos e serviços.Uma das áreas em que muitas empresas estão inovando é em marketing digital. Com o fracasso econômico ou não, as empresas enxergaram oportunidades com excelente custo x beneficio no meio digital. Elas publicam conteúdo, projetam seu website como máquinas que capturam leads e utilizam tecnologias analíticas para melhorar cada vez mais a eficiência e resultados em vendas.

Conheça então as principais razões pelas quais você deve aproveitar este momento e crise econômica para surpreender, encantar e se aproximar de seus clientes e leads com o poder do marketing digital.

 

1.Esteja presente nos meios digitais

A internet é basicamente um canal de marketing onde você pode chamar seu publico para onde você está. Ela oferece oportunidades de vendas prontas. Se o seu publico está procurando pela sua solução, o seu ciclo de vendas, naturalmente, será mais curto e mais fácil de ser finalizado com sucesso.

 

2. Invista em tempo mais do que em dinheiro

 

Praticamente todas as estrategias de marketing na internet exigem mais do seu tempo e menos do seu dinheiro, em comparação ao marketing e publicidade tradicionais

 

3.Você consegue mensurar os resultados

 

Quando suas atividades de marketing online se transformam em leads, oportunidades e vendas, você saberá exatamente qual ação fazer novamente. Isso é um dos fatores que mais chamam a atenção no meio digital: a possibilidade de acompanhar o resultado de cada post, artigo ou matéria publicada em seu blog e redes sociais. Você entenderá o comportamento de seu publico, suas preferências e desejos de forma pratica, fácil e verdadeira.

 

4. Seus concorrentes estão mudando seus gastos

 

Se você quiser abrir espaço para sua concorrência ganhar mercado, então deixe de investir em marketing digital. Ainda este ano e para os próximos anos, os gastos com marketing de conteúdo vão aumentar significadamente.Ou seja, é melhor você investir neste tipo de estratégia para não ficar para trás da concorrência. Aproveite que investir em marketing digital, além de ser mais barato, você consegue mensurar todos os resultados.

 

5. Melhorias Constantes

 

Mostrar que sua empresa está antenada, conectada e presente em múltiplos canais passa a imagem de uma marca comprometida, inovadora e moderna. Aproveite que você pode medir os resultados de suas ações para canalizar os esforços e investimentos no que realmente da certo.

 

6. Preparar para o futuro

 

Os profissionais de marketing muito experientes em inúmeras situações de mercado tem provado que investir em tempos ruins é o caminho certo para capitalizar bons momentos.

 

Acesse nossa sessão de serviços e conheça as ferramentas que a Vox Blue utiliza para fazer o marketing digital de sua empresa, ou entre em contato conosco hoje mesmo para podermos traçar uma forma de alcançar e fidelizar mais clientes e alavancar suas vendas.

 

 

 

 

 

Conquistando clientes e vendas com SMS Marketing

smsmkt

O celular faz parte da comunicação cotidiana de expressiva parcela da população mundial, mas, ainda é um canal distante do Plano de Marketing de muitas marcas brasileiras. Uma pesquisa da União Internacional de Telecomunicações revela que o total de celulares em uso, no mundo, já passou dos sete bilhões de unidades. Nesse cenário, cada vez mais as empresas podem utilizar a tecnologia a seu favor, com estratégias para criar conteúdo que gere engajamento e, consequentemente, amplie vendas.

O SMS (Short Message Service) é um aliado fundamental para ampliar a visibilidade das marcas. Além de seu alcance, essa ferramenta enquadra-se em um novo contexto de comunicação com os consumidores: as pessoas estão, cada vez mais, habituadas a receber informações em tempo real. Essa é uma das vantagens do SMS, que possui uma taxa de abertura de 98% (em comparação com 22% dos e-mails) e índice de respostas de 26% (contra 5% dos e-mails), segundo levantamento da Frost & Sullivan.

Mensagens de texto bem elaboradas demonstram que a empresa se importa com as necessidades do seu público e podem garantir a preferência do consumidor no momento da compra. Além disso, são um excelente recurso para encorajar os consumidores na contratação de novos serviços ou produtos. As pessoas que recebem promoções ou descontos se sentem privilegiadas, percebem vantagens em manter um vínculo com a marca e indicam a empresa para sua rede de contatos.

Ressalto que é importante que as organizações criem planejamentos para as campanhas de SMS Marketing. Para vender mais, é necessário focar em promoções, descontos ou divulgação de novos serviços. Já para manter uma boa relação com o público, vale enviar mensagens de agradecimento pela fidelidade dele com sua marca. Definir uma estratégia e selecionar quando encaminhar as mensagens e com que frequência é essencial para não importunar o cliente e conseguir fortalecer a imagem institucional.

Os resultados alcançados por meio do SMS Marketing podem ser ainda melhores com algumas dicas preciosas. Em primeiro lugar, identifique sua empresa nas mensagens para reforçar a marca e o vínculo com o usuário, usando linguagem simples, clara e direta. Além disso, é válido desenvolver o hábito de enviar mensagens em datas comemorativas, como aniversários e feriados, para criar um relacionamento mais próximo com seu público.

Abrir espaço para feedbacks também fortalece a relação com o cliente, uma vez que o envolve em processos de mudança e aperfeiçoamento. Outra sugestão é lembrar as pessoas sobre novos eventos promovidos por sua empresa, estimulando a participação. Não se pode esquecer que todo canal de comunicação com o consumidor deve ter planejamento e comunicação direcionada, com conteúdo personalizado. As empresas brasileiras que ignorarem essas diretrizes e o uso do mobile em suas estratégias de marketing terão, nos próximos anos, que percorrer uma distância ainda maior para alcançar seus líderes de mercado e engajar seus consumidores.

Entre em contato conosco para planejarmos uma estratégia de marketing atraves de SMS ou mesmo outras ferramentas que a Vox Blue utiliza em nossa sessão de serviços, para que você alavanque seu numero de vendas e fidelize seus clientes.

Como Planejar uma Campanha de Marketing Digital ?

mktdigtal

Esse ano se aproxima da metade e já estamos enfrentando uma série de desafios, mas mesmo nesse cenário desafiador, as lojas virtuais precisam agir e fazer com que todo o mercado continue sua curva de crescimento.

Para tanto, é importante que todos os processos sejam aprimorados e, como todos sabem, sem divulgação e presença online forte sua loja virtual tem poucas chances de conseguir se sustentar e infelizmente pode ter um fim nada positivo.

Ações de marketing no ambiente digital trarão resultados apenas se forem planejadas e executadas de forma profissional.

Fazer campanhas de Adwords e criar um página cool no Facebook por impulso – sem se preparar para isso – não fará com que resultados apareçam e pode ser um investimento com pouco ou nenhum retorno. Com o tempo o mercado tende a fazer uma seleção natural e e-commerces que não planejarem suas ações terão pouco exito, já que não conseguirão atender seus consumidores de forma individualizada, mais humana e personalizada.

Como planejar suas ações de marketing digital

Comportamento do mercado

Nesse tópico será preciso analisar o que outras lojas virtuais têm feito no que diz respeito ao marketing digital. Identificar os acertos e erros – e claro, potencializar as coisas boas e evitar o que não dá certo.

Será preciso responder aos seguintes questionamentos:

Quais são seus concorrentes: Quais lojas virtuais tem um público parecido com o que você trabalha, ou vende os mesmo itens. Podem ser apontados concorrentes diretos e indiretos. Por exemplo, se o seu negócio for ventiladores, precisa ficar de olho também no mercado de ar condicionados.

O que a concorrência tem feito na esfera digital: As mídias sociais que eles atuam, se investem em links patrocinados, comparadores de preço, retargeting, afiliados e outros canais. Além disso, você deve avaliar o que está sendo praticado da forma correta e o que não pode ser adotado em sua loja virtual.

Cases positivos: O mercado está repleto de bons exemplos de aplicação em marketing digital. Muitas vezes ele não está no seu nicho. Por exemplo, já ouviu falar do Hortiflix? Trata-se da divulgação de uma rede de Hortifruti, que aproveitou da popularidade da Netflix, e de forma bem humorada criou uma página que os protagonistas são os vegetais. Esse tipo de ação, de uma loja física, mostra que é possível ser criativo e gerar uma bom posicionamento da marca.

Cases negativos: Mas, também existem casos negativos, de marcas com sérios problemas criados com a má utilização de campanhas online. Desde não atender os clientes vias redes sociais, até apresentar um valor no anúncio diferente daquele que o consumidor encontra no site.

O que foi possível identificar: Faça uma análise de todos os pontos verificados e como eles podem servir para que você tenha êxito em sua campanha.
Objetivos de sua campanha
Agora é hora de saber o que você espera de suas ações de marketing digital. Você já sabe em “que pé” está o mercado e o que tem dado certo ou não. Isso facilita na decisão de quais resultados deseja alcançar.

O que deseja: Por exemplo, você quer trabalhar branding e melhorar a forma como o mercado vê você, ou ainda potencializar as vendas de uma determinada categoria. É preciso deixar isso bem definido.

Metas e prazos: Com o objetivo claro, é hora de saber quais são as metas e os prazos para alcançá-las, além da definição dos KPIs. Impor datas e metas é importante para saber se as ações estão no rumo certo.
Entenda seu público

Quem ele é: Quando for desenvolver uma campanha, é importante saber qual será o foco. Alguns e-commerce tem um público mais “geral”, aberto. Sua campanha será especifica ou não? Você precisa entender para quem vai falar. Hoje já é possível, com o auxílio da tecnologia, identificar quais serão os clientes mais propensos as ações realizadas por sua loja virtual. O Facebook, por exemplo, permite que suas campanhas sejam feitas para pessoas com perfis semelhantes ao seus fãs atuais ou mesmo anunciar para seguidores de uma página concorrente. Ter acesso a pesquisas de mercado vai ajudar muito. Por exemplo, a última edição do Relatório Webshoopers, do E-bit, indicou que o público predominante no e-commerce tem entre 35 e 50 anos. (38 e 33% respectivamente). Estamos falando de 71% do mercado. Esse tipo de informação deve ser levada em consideração da definição do público.

Defina personalidades: Melhor do que falar com grandes grupos, é individualizar as ações e falar com uma pessoa. Quando souber quem é o seu público, defina um nome, uma idade e ao invés de falar com um grupo, “fale” com o João, arquiteto, 42 anos e que mora no Rio de Janeiro. Fica muito mais prático “falar” com ele do que com um grupo fechado.
Canais

Chegou o momento do projeto em que é necessário definir os canais que serão utilizados em sua campanha.

Quais canais existem: Identifique em quais canais existe mais chance para o público e persona que você definiu converterem. Se ela está presente nas redes sociais ou se ele acessa muitos blogs. Entender esse comportamento irá permitir que você canalize as ações de forma correta.

Entenda os canais: Saiba a forma de faturamento de cada um dos canais em que você investirá, isso evita problemas no futuro.

Mensuração

Mensure, sempre, a todo momento, isso irá permitir que você saiba se todas as ações estão trazendo o retorno esperado ou se precisam ser alteradas.

O que precisa ser mensurável: Os canais com mais conversões, qual o caminho do cliente até chegar a compra, o Retorno sobre Investimento por produto, Retorno sobre Investimento por canal. Todas essas informações precisam ser acompanhadas.

Como mensurar: Tenha ferramentas que integrem todos os canais em um só painel e permitam o gerenciamento de suas campanhas. Um exemplo prático é a Admatic, que permite centralizar e gerenciar todas as ações baseadas em txt. Ter um software que auxilie nesse processo, evita que você tenha que entrar em diferentes sistemas para ter acesso aos dados da campanha.
Tomando o cuidado necessário, as chances de suas campanhas apresentarem melhores chances de conversão, aumentam.

Marketing de Conteúdo pode Aumentar as Vendas ?

Marketing de Conteudo

Será que o marketing de conteúdo ajuda a empresa a vender mais, ou estamos fazendo isso apenas porque todo mundo faz?

4 vantagens do marketing digital para produtores de conteúdo

Para pensarmos sobre a importância deste assunto, busquei os seguintes dados:

Empresas que possuem blogs geram 67% mais oportunidades do que as empresas que não possuem;
71% daqueles que trabalham com marketing B2B usam marketing de conteúdo para geração de leads;
Sites corporativos com blogs têm 434% mais páginas indexadas e 87% mais links indexados nos buscadores;
Leads provenientes de busca orgânica têm uma taxa de conversão de 14,6%, enquanto leads outbound têm taxa média de conversão de 1,7%;
O consumidor final gasta mais de 50% do seu tempo on-line consumindo conteúdo;
70% dos consumidores afirmam que o marketing de conteúdo cria uma aproximação com a empresa.

Então, uma vez comprovado que o marketing de conteúdo traz resultados, precisamos entender por que esses resultados são alcançados.

Com este artigo, você vai aprender:

Por que a qualidade das publicações, tem um papel fundamental no marketing de conteúdo;

Qual a importância de ser autoridade no seu mercado.

Reciprocidade

Para termos certeza das nossas ações na posição de agência digital, precisamos entender quais são os gatilhos mentais que são ativados em nosso benefício ao realizarmos uma ação de marketing. E, em relação ao marketing de conteúdo, isso não é diferente. Para termos convicção de que o marketing de conteúdo influencia na decisão de compra precisamos nos aprofundar no gatilho da reciprocidade.

Toda vez que alguém faz algo por nós, seja nos ajudando com alguma tarefa ou nos indicando qual o melhor produto para a nossa necessidade, temos por obrigação a retribuição desse ato. Esse fator é utilizado por profissionais da persuasão há muito tempo.

Por esses dias, li a história de um garçom que conseguia três vezes mais gorjetas do que os demais colegas que trabalhavam com ele em um mesmo restaurante. O pesquisador, que conta essa história, pode analisar o motivo da discrepância ao ser contratado como assistente de salão. Com o passar do tempo, ele reparou em algumas técnicas que esse garçom extraordinário usava.

Além de se adequar rapidamente ao estilo dos clientes que iria atender, ele usava a técnica da reciprocidade com maestria. Em todas as mesas, ao anotar o pedido (e tendo em vista que normalmente é a mulher quem pede o primeiro prato), o garçom olhava para os lados (para verificar se ninguém o estava observando), inclinava-se sutilmente sobre a mesa e dizia: “Este prato que a senhora escolheu não está muito bom hoje. Posso recomendar este aqui? – apontando para outro prato mais barato no cardápio. ― Este está magnifico hoje; creio que a senhora irá adorar!”.

Após usar uma técnica conhecida como “bola baixa”, que é falar mal de algo para ressaltar outra coisa melhor, ele se tornou confidente, íntimo e confiável ao indicar uma melhor opção de compra. Na maior parte das vezes, as pessoas acatavam a sugestão, criando, assim, um sentimento de confiança e reciprocidade. Afinal, ele não tinha deixado a sua “amiga” comer um prato que, supostamente, não estava bom.

Não basta ser necessário, é preciso gerar valor

Com isso, o garçom conseguia aumentar a conta da mesa. Isso porque, ao conquistar a clientela indicando-lhe uma melhor opção, ele se tornava a referência no restaurante. Após essa conquista, ele indicava vinhos caros e sobremesas imperdíveis.

Nesse processo, ele ajudava os clientes a terem uma experiência mais satisfatória e, consequentemente, essa ajuda fazia com que a gorjeta lhes parecesse obrigatória. E, com a conta um pouco mais alta do que aquele valor que os clientes inicialmente pretendiam gastar no restaurante, o valor da gorjeta daquele garçom parecia relativamente pequeno. Assim, a gorjeta dele era mais alta do que a dos outros colegas.

Vejam que existem muitas técnicas de vendas usadas em um mesmo cenário, porém a mais importante de todas foi a reciprocidade. A vontade do cliente quanto a se basear na retribuição para calcular a gorjeta do garçom (que até aquele momento lhe era um completo desconhecido) foi crucial.

Autoridade

A nossa mente tem tanta preguiça de pensar (só pensamos se realmente precisamos fazê-lo) que reagimos a várias questões de forma rápida a fim de reduzir o esforço na hora de tomar uma decisão. Imagine se, por exemplo, você tivesse que estudar quais os remédios que devemos tomar quando ficamos gripados. É claro que, nesse caso, procuramos um especialista, alguém com autoridade para nos indicar o que é o melhor.

Essa reação automática, chamada por especialistas de “Clique, Zum”, nos faz ignorar aspectos como o bom senso e nos torna reféns da autoridade.

Em uma pesquisa, dois indivíduos foram colocados em uma sala para executar um teste de autoridade. Um deles era parte da equipe, mas o outro não sabia. O segundo indivíduo pensava que o primeiro era um cidadão comum que, tal como ele, estava ali para participar da pesquisa.

O estudo se iniciava com a escolha de um professor e um aluno. No caso, o aluno era orientado a entrar em uma sala com uma máquina de choque, e o outro era orientado a fazer perguntas sobre um texto que foi dado a esse aluno antes dele entrar na sala. Toda vez que o aluno errava a resposta, o professor era orientado pelo pesquisador a dar um choque no aluno. Conforme o choque aumentava, o aluno (que era um integrante da equipe de pesquisa e que estava atuando em relação aos choques) se mostrava desesperado e batia na porta pedindo para sair, alegando que o choque estava lhe causando ataques cardíacos e outros problemas.

Mesmo sob forte pressão do aluno gritando para sair e para que o choque cessasse, e mesmo se dando conta de que aquilo não estava correto, o professor continuava aplicando os choques a fim de seguir a orientação da autoridade no recinto ― isto é, do pesquisador de jaleco.

Segundo o livro “Trabalhe 4 horas por semana”, ser uma autoridade é simples: você precisa saber mais que a média (e, via de regra, a média é baixa) sobre um assunto específico com o qual você geralmente está em contato o tempo todo. No conteúdo, por meio de algumas técnicas e de conhecimento, você consegue aplicar a sua autoridade e conquistar uma posição de especialista. Mesmo que seja um conteúdo escrito pela empresa, na posição de representante da corporação, essa autoridade é passada para você.

Temos um caso bem legal de um dos nossos clientes que, ao iniciar uma produção de conteúdo técnico sobre o seu assunto, se tornou referência e conquistou algumas mídias espontâneas para falar sobre o tema em rádios, emissoras de TV e outros canais.

4 etapas do Inbound Marketing

Ao entender o aspecto da reciprocidade e verificar que ser autoridade nos traz muitos benefícios, fica fácil concluir como, de fato, o conteúdo influencia na decisão de compra dos possíveis clientes. Isto sem contar outros benefícios diretos, como o aumento de acessos orgânicos (SEO), conteúdo para redes sociais e e-mail marketing, e significativa propagação da marca.

Espero ter ajudado você, caro leitor, a entender melhor como o conteúdo é importante para manter a sua empresa com boa presença online, não bastasse a comprovação quanto à conquista de ótimos resultados. Lembrando, claro, que a estratégia de conteúdo é uma das muitas aplicadas no marketing digital para atrair boas vendas.

5 Passos para Converter Seus Resultados em Vendas

noname
Após conquistar fãs engajados nas redes sociais, uma boa lista de leads – sua base de contatos – e autoridade em seu nicho, é necessário vender. Diante da dificuldade que muitas empresas têm de converter em vendas, é possível listar os principais passos para conseguir efetuar mais vendas.

Saiba com quem você está falando

A primeira dica é procurar saber mais sobre os leads, ou seja, os contatos cadastrados em sua base. Qual a profissão deles, seus hábitos de consumo? De que outras empresas eles gostam de comprar, do que eles gostam, por que escolheram sua empresa, qual o feedback sobre seu serviço?. É preciso abrir canais de comunicação com este público, seja incentivando comentários no site ou realizando enquetes nas redes sociais e até conversando pessoalmente.

Envie e-mails

Após conhecer o público, é necessário definir metas e objetivos, produzir conteúdo relevante para eles e mensurar todas as ações. Utilizar o princípio do e-mail marketing é a melhor opção. O e-mail é uma ferramenta de comunicação mais direta que as redes sociais, e isso faz dele um meio mais eficiente para estreitar os vínculos entre empresas e consumidores. Mesmo com milhares de pessoas recebendo um mesmo e-mail, a comunicação é mais assertiva e as chances de envolvimento e fidelização de clientes são maiores.

Aumente a lista

É importante que os leads sejam tratados de formas diferentes. Há diferentes estágios para os leads, desde os que ainda buscam apenas o conteúdo gratuito, até os que estão totalmente preparados para efetuar uma compra. Lançar uma campanha focada apenas na conversão não terá resultado tão satisfatório, pois muitos potenciais clientes ainda estarão no topo e meio do funil. Lembrando que é necessário não apenas converter quem está no estágio final do ciclo de compras, mas fazer com que os outros leads cheguem até esse momento.

Personalize o atendimento

A verdadeira assertividade do envio de e-mails está, especialmente, na personalização do conteúdo. É necessário falar em uma linguagem que faça o contato se sentir o único interlocutor da conversa. Quando você trata um consumidor com personalização, fazendo com que ele se sinta especial, a possibilidade de ele dar o próximo passo é grande. Há formas de, por exemplo, iniciar o e-mail para cada lead com o nome dele sem a necessidade de fazer isso manualmente. Além disso, é importante que cada usuário receba conteúdos diferentes, conforme o momento do funil de vendas no qual ele se encontra.

Automatize as tarefas

Por fim, destaco a importância de se automatizar tarefas. A automação de e-¬mails pavimenta a estrada com os conteúdos corretos para cada usuário, oferecendo o que eles precisam em cada momento e fazendo-os avançar pelas etapas. A importância de oferecer novas experiências de atendimento, estabeleça uma comunicação eficiente, reconhecer e agradar o bom cliente, entre outras ações importantes para que ele se sinta parte de uma comunidade. Fazer tudo isso sozinho demanda tempo e um esforço gigantesco. Sendo assim, sugiro que se busque apoio profissional e softwares para automatizar as tarefas e trazer melhores resultados. Fidelizar clientes não é uma tarefa tão difícil, desde que sejam utilizados os recursos ideais.